5 passos para organizar as férias dos seus pacientes

O final do ano bate à porta e com ele chegam os períodos de recesso e férias, sempre muito bem-vindos, afinal todos merecem uma pausa. O descanso escolar já foi tema de pesquisa da Academia Norte-Americana de Pediatria, que durante cinco anos acompanhou a rotina de alunos de diversas escolas americanas. Os resultados do estudo mostraram que uma pausa nos estudos contribui para o desenvolvimento social, emocional e cognitivo das crianças, além de deixá-las mais dispostas para o aprendizado na volta às aulas. Se faz bem para as crianças, com os adultos não é diferente. Estudos mostram que ter uma pausa do trabalho melhora o engajamento, produtividade e criatividade.

Não há dúvidas de que as férias são aliadas no processo de engajamento, mas ao mesmo tempo produzem uma preocupação: com o distanciamento da terapia, é possível perder os ganhos conquistados no processo terapêutico.  Será então que existe uma maneira de manter os resultados obtidos mesmo com os pacientes em férias?

A resposta é sim! Como? Experimente planejar e organizar as férias dos seus pacientes de modo que eles tenham o merecido descanso, sem deixar para trás os ganhos conquistados com a terapia.

Quer descobrir como? Listamos 5 passos que vão te ajudar a manter pacientes motivados mesmo nas férias.

1. Entenda em que momento da terapia seu paciente está
Revisite com frequência o objetivo inicial da terapia para saber o que seu paciente já conquistou. Assim, fica mais fácil definir metas e planejar os próximos passos.

2. Tenha metas
Durante todo o processo terapêutico é importante ter metas para que seu paciente se mantenha engajado. Quanto mais ele souber sobre os ganhos que terá com a manutenção das atividades, mais engajado estará e também disponível para manter os resultados e voltar das férias pronto para dar continuidade às metas seguintes.

3. Adapte atividades ao contexto das férias
Uma viagem com toda a família para um hotel na praia é diferente de visitar a casa dos avós no interior, por exemplo. A ideia é que as atividades preparadas para as férias consigam ser facilmente encaixadas no roteiro do seu paciente. Se for difícil, as chances de concluí-las é menor.

4. Respeite o tempo do seu paciente
Para que haja engajamento, as tarefas direcionadas para as férias precisam fazer sentido para o paciente. Algo fora de seu contexto, dificilmente será cumprido, se demandar muito tempo dificilmente será feito.

5. Aposte na diversão
Poder dormir até mais tarde, passar mais tempo com a família, fazer passeios e brincar. Sempre muito aguardada pelas crianças, as férias trazem a possibilidade de mais tempo livre e mudança na rotina. Por isso, aposte em atividades que sejam divertidas como as atividades disponíveis na plataforma Afinando o Cérebro. Além de divertidas,  são lúdicas e desafiadoras. Com mais de 160 atividades desenvolvidas por especialistas e comprovadas cientificamente, o Afinando o Cérebro atua na estimulação de habilidades auditivas, de comunicação além de memória, foco e atenção. Seu paciente vai voltar das férias muito mais preparado e disposto para continuar a terapia.

Transforme as férias em aliadas do processo terapêutico. Faça seu cadastro agora mesmo e comece a usar gratuitamente. 

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados