Buscar
  • Afinando o Cérebro

A importância da intervenção precoce

Vivemos diversas situações em nosso dia-a-dia que exigem de nós mais que uma boa audição. Fazer o pedido em um restaurante movimentado, conversar com amigos em uma festa, assistir a uma palestra com outras pessoas conversando ao redor, compreender o que o professor fala na sala de aula ou até mesmo aprender um novo idioma pode ser mais complicado do que parece.


Conseguir compreender o que uma pessoa está falando em um ambiente com muitos ruídos ou sons depende de habilidades do processamento auditivo central, como o fechamento auditivo e a figura-fundo auditiva. O mesmo vale para uma criança na escola, quando precisa prestar atenção no que o professor explica, acaba se distraindo com algo, perde alguma palavra e precisa compreender o que foi dito. Além do fechamento auditivo e da figura-fundo, desenvolvemos ao longo da infância uma série de outras habilidades auditivas como localização sonora, discriminação auditiva, reconhecimento de padrões auditivos e aspectos temporais da audição.


De acordo com a American Speech-Language-Hearing Association (ASHA), cerca de 20% das crianças têm alguma alteração nas habilidades auditivas e poderão se tornar adultos com Transtorno do Processamento Auditivo Central (TPAC). Em boa parte dos casos, o sistema auditivo periférico encontra-se totalmente preservado, ou seja, a pessoa ouve bem mas há dificuldade no processamento das informações captadas pelas vias auditivas. Ela é capaz de ouvir, mas nem sempre consegue interpretar a mensagem recebida de maneira adequada. O TPAC afeta as vias centrais da audição, ou seja, as áreas do cérebro relacionadas às habilidades auditivas.


Algumas situações do dia-a-dia, como as que citamos no início, demonstram como dependemos das habilidades auditivas em diversos momentos de nossas vidas:


•Entender o que foi dito quando prestamos atenção em duas pessoas falando ao mesmo tempo e perdemos alguma informação


•Conversar em ambientes com muito ruído, como em uma padaria com o liquidificador ligado ou em uma rua em obras


•Ao assistir um filme, quando você perde alguma palavra ou frase e precisa entender o que está acontecendo


•Quando precisamos compreender uma língua estrangeira sobre a qual não temos domínio


•Compreender uma pessoa que está com a voz rouca ou gripada


•Diferenciar a intenção de frases pela entonação da voz


•Perceber aspectos sonoros de diferentes sotaques


•Conseguir diferenciar sons parecidos, como “tia” e “dia”


•Manter o foco de atenção em uma pessoa, quando há muitos estímulos no ambiente


•Identificar de onde vem o som de uma buzina ao atravessar uma rua com pouca visibilidade


•No trânsito, quando se aproxima a sirene de uma ambulância, polícia ou bombeiro e devemos dar passagem


•Num local público, como um parque ou padaria, quando alguém nos chama


•No cinema ou em um espetáculo de música, quando um amigo quer nos fazer um comentário e queremos continuar prestando atenção na atração.


Quais são os sinais do TPAC?


Quando alguém apresenta alterações no processamento auditivo central, pode ter comportamentos característicos precedidos por sinais que geralmente se manifestam desde a infância. Por isso, é importante estar atento a eles, pois quanto mais precoce for o diagnóstico melhor será o processo de reabilitação para o desenvolvimento e aprimoramento das habilidades auditivas afetadas.


Dentre os principais sinais e queixas relacionadas ao TPAC, destacamos:


•Dificuldades na alfabetização


•Troca de sons na fala


•Troca de letras na escrita: inverte letras parecidas (b, d, p, q) ou troca letras com sons parecidos (p/b, t/d, f/v, m/n)


•Erros gramaticais


•Agitação ou distração excessivas


•Hiperatividade


•Apatia


•Baixo rendimento escolar


•Esquecer o que ouviu ou leu


•Dificuldade para compreender variadas entonações na comunicação, como piadas e frases de duplo sentido


•Dificuldade de escutar em ambiente ruidoso


•Dificuldade em compreender ordens e regras


•Confundir-se ao contar um fato ou história


•Dificuldade em se expressar


Seja na sala de aula, em um ambiente de coworking, em lugares públicos ou no estudo de línguas, alterações das habilidades do processamento auditivo central produzem sinais que merecem atenção. Conhecê-los e falar sobre eles pode ajudar familiares, professores e profissionais da saúde a reconhecerem, o quanto antes, uma possível alteração do processamento auditivo central e fazer os encaminhamentos corretos para avaliação, orientação e tratamento, minimizando dificuldades comunicativas e otimizando o desempenho escolar.


Por onde começar?


O TPAC é diagnosticado por meio da avaliação do processamento auditivo central, realizada por um fonoaudiólogo. Mas, antes mesmo da avaliação, é possível fazer uma triagem das habilidades auditivas e assim ter certeza se de fato há um indício de alteração e já iniciar a estimulação dessas habilidades. A intervenção precoce é essencial nesse processo.


A triagem das habilidades auditivas pode ser feita durante a sessão com seu paciente e conta com um grande aliado. Estamos falando de AudBility, uma plataforma online para triagem das habilidades auditivas.


Você poderá realizar a triagem das habilidades auditivas de seus pacientes de uma maneira inovadora, segura e versátil, por meio de testes específicos direcionados por faixa etária, criados especialmente por um time de especialistas. De uso exclusivo dos fonoaudiólogos, o programa foi validado cientificamente e atende todas as faixas etárias.


Além de mapear as habilidades auditivas de seus pacientes, indicar a necessidade de avaliação formal do processamento auditivo central, AudBility te ajudará a direcionar estratégias a serem utilizadas em terapia, com a possibilidade de monitorar o desempenho de seus pacientes. E se o seu atendimento for por telefonoaudiologia, a triagem das habilidades auditivas também será possível. É possível gerar um link ou compartilhar um QRCode, para que seu paciente acesse a plataforma do próprio computador, com a garantia de que realizará todas as atividades escutando o áudio original, enquanto você acompanha os resultados de onde estiver.


O TPAC tem tratamento, pois as habilidades auditivas podem ser aprimoradas com treinamento e há diversas maneiras de estimulá-las, por isso reforçamos a importância de estar atento aos sinais. A intervenção precoce pode mudar para melhor o percurso que seu paciente irá trilhar na vida pessoal, escolar e profissional e você poderá ajuda-lo nisso.

Conheça AudBility e tenha em mãos o que há de melhor, para oferecer um tratamento assertivo e de qualidade.


Clique aqui para saber mais sobre o AudBility.

529 visualizações0 comentário