top of page
Buscar
  • Foto do escritorAfinando o Cérebro

O papel do Processamento Auditivo Central na educação

Como será que as crianças aprendem? Essa dúvida pode surgir na cabeça dos pais, sempre que chega a hora dos pequenos entrarem no mundo escolar. Contudo, mais do que entender como o processo de aprendizagem acontece é importante compreender quais são os fatores essenciais para que esta etapa na vida das crianças aconteça de forma satisfatória.


O processo de aprendizagem está diretamente ligado à capacidade de perceber e integrar informações do mundo e associá-las a outras informações já existentes em nosso cérebro. Quanto maior o número de experiências vivenciadas por uma criança maior será sua capacidade de perceber seus detalhes, melhor será sua interpretação das informações sonoras, contribuindo significativamente para o desenvolvimento educacional.


Nossos sentidos sensoriais atuam como portas de entrada para o conhecimento, permitindo-nos captar estímulos do ambiente. O Processamento Auditivo Central (PAC) atua no processamento e interpretação dos estímulos sonoros, conectando-os a experiências anteriores e conhecimentos já adquiridos. Quando ocorrem dificuldades no processamento dessas informações, os efeitos podem ser sentidos na aprendizagem.


Na aquisição da leitura e da escrita, por exemplo, a interconexão entre diferentes áreas cerebrais é necessária para que as informações auditivas e visuais sejam processadas e integradas. Para aprender a ler, é necessário primeiro compreender os sons das palavras e desmembrá-los em unidades menores (fonemas) antes de associá-los às letras. Nesse contexto, fica claro como a informação auditiva desempenha um papel fundamental neste processo.


O PAC abrange habilidades auditivas como localização sonora, discriminação auditiva, reconhecimento de padrões sonoros e processamento temporal. Essas habilidades permitem às crianças compreender as informações do entorno, analisar detalhes e filtrar estímulos sonoros em ambientes ruidosos, como uma sala de aula. Por isso, as experiências auditivas desempenham impacto significativo na comunicação interpessoal e no aprendizado.


Possíveis alterações no PAC podem levar ao Transtorno do Processamento Auditivo Central (TPAC), afetando a capacidade do sistema nervoso central de processar informações sonoras. Isso pode resultar em dificuldades na compreensão completa das mensagens sonoras recebidas, especialmente em ambientes de grande competição sonora. As dificuldades associadas ao TPAC podem incluir dificuldades de alfabetização, problemas de fala ou compreensão comprometida do conteúdo ensinado.


No entanto, é importante destacar que as dificuldades de aprendizagem não são necessariamente exclusivas das crianças. Fatores externos, como abordagem pedagógica, frequência escolar e influências familiares também podem comprometer a performance escolar das crianças. Por isso, ter conhecimento sobre o que compreende os pilares que compõem o processo de aprendizagem, diferenciar causas ligadas ao TPAC e outras origens é importante para direcionar os próximos passos da criança, com o objetivo de promover uma melhor caminhada em sua jornada educacional.

Quando uma criança apresenta alterações no PAC, poderá apresentar comportamentos característicos precedidos por sinais que geralmente se manifestam desde a infância. É importante estar atento a eles, pois quanto mais precoce for o diagnóstico melhor será o processo de reabilitação para o desenvolvimento e aprimoramento das habilidades auditivas afetadas.


Conheça os principais sinais e queixas relacionados ao TPAC:


  • Agitação ou distração excessivas

  • Hiperatividade

  • Apatia

  • Baixo rendimento escolar

  • Dificuldades na alfabetização

  • Troca de sons na fala

  • Troca de letras na escrita: inverte letras parecidas (b, d, p, q) ou troca letras com sons parecidos (p/b, t/d, f/v, m/n)

  • Erros gramaticais

  • Esquecer o que ouviu ou leu

  • Dificuldade para compreender variadas entonações na comunicação, como piadas e frases de duplo sentido

  • Dificuldade de escutar em ambiente ruidoso

  • Dificuldade em compreender ordens e regras

  • Confundir-se ao contar um fato ou história

  • Dificuldade em se expressar

Conhecer esses sinais e falar sobre eles pode ajudar familiares, professores e profissionais da saúde a reconhecerem, o quanto antes, uma possível alteração do processamento auditivo central e fazer os encaminhamentos corretos para avaliação, orientação e tratamento, minimizando dificuldades comunicativas e de aprendizagem. Além disso, é possível treinar as habilidades auditivas para aprimorar o seu funcionamento, melhorando os processos de escuta.


O diagnóstico precoce do TPAC é essencial, pois a identificação das dificuldades pode resultar em intervenções capazes de minimizar as barreiras comunicativas e de aprendizagem. Crianças que apresentam dificuldades na alfabetização, por exemplo, devem ser avaliadas por profissionais para investigar o papel do PAC em suas dificuldades.


Após a avaliação, um fonoaudiólogo especialista em PAC poderá utilizar estratégias terapêuticas para estimular o desenvolvimento das habilidades auditivas comprometidas.


E por aí, como foi o processo de aprendizagem dos pequenos?


435 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page