top of page
Buscar
  • ProBrain ProBrain

Descubra como habilidade de ordenação temporal pode tornar sua comunicação mais eficaz



No mundo profissional, as habilidades auditivas são essenciais para promover uma comunicação eficaz e para a interpretação correta das informações. Uma dessas habilidades é a ordenação temporal, que está diretamente ligada à capacidade de perceber a entonação nas vozes e nos sons ao nosso redor. 


A ordenação temporal refere-se à capacidade do cérebro de organizar e interpretar uma sequência de eventos sonoros de forma cronológica. Em termos simples, é a habilidade de perceber a ordem correta dos sons e de identificar padrões temporais na informação auditiva. Isso inclui a capacidade de distinguir entre sons de curta duração, identificar pausas e reconhecer padrões rítmicos e melódicos. A ordenação temporal faz parte de um conjunto de habilidades auditivas que abrangem desde a localização da fonte sonora até a capacidade de discriminar e reconhecer estímulos sonoros e formam nosso Processamento Auditivo Central (PAC). O bom funcionamento tanto das estruturas auditivas centrais quanto periféricas é essencial para garantir o processamento adequado da informação auditiva. Qualquer alteração ou dificuldade nesses sistemas pode resultar em dificuldades no recebimento, análise e organização da informação auditiva, afetando assim a percepção e compreensão dos sons no ambiente. 

Esta habilidade está relacionada ao processamento de vários estímulos auditivos, de acordo com sua ordem de ocorrência, permitindo que sejamos capazes de discriminar uma sequência correta dos sons, sejam eles verbais ou não-verbais. No caso da fala, a ordenação temporal permite a compreensão das palavras em uma frase, identificando a sequência correta dos fonemas e a entonação utilizada pelo falante para transmitir significado e intenção.Além disso, na percepção de estímulos sonoros não verbais, a ordenação temporal é a habilidade que nos permite identificar padrões de sons, como o canto de pássaros, o ruído de um rio ou o som de veículos em movimento. Essa capacidade de discriminação temporal enriquece a experiência auditiva e contribui para a interpretação adequada do ambiente ao nosso redor.


Dessa forma, a ordenação temporal vai além da simples identificação de sons, ela envolve a capacidade de processar e organizar esses estímulos de acordo com sua ordem temporal, permitindo uma compreensão mais profunda e contextualizada do mundo sonoro, habilidade fundamental para a comunicação verbal e também para a percepção e a interação com o ambiente auditivo de maneira mais ampla. Por exemplo, você consegue saber, pelo tom de voz, se alguém está feliz ou bravo? Além da capacidade de ordenar sequências de sons de acordo com sua ordem de ocorrência, a ordenação temporal permite perceber diferenças em relação à frequência, duração e intensidade dos sons, como vemos abaixo: 


Ordenação Temporal de Frequência: habilidade de perceber e lembrar de uma sequência de sons, identificando se são graves ou agudos, importante para atividades como cantar afinado, identificar sílabas tônicas em palavras, reconhecer padrões melódicos na fala e compreender o significado do tom de voz utilizado por uma pessoa ao se comunicar. Por exemplo, ao ouvir uma música, a ordenação temporal em relação à frequência permite distinguir entre notas agudas e graves, facilitando a reprodução correta das melodias. No contexto da fala, é o que nos permite perceber nuances emocionais e comunicativas, como a entonação que indica perguntas, afirmações ou emoções como alegria, tristeza ou surpresa.


Ordenação Temporal de Duração: relaciona-se à capacidade de perceber e lembrar de uma sequência de sons, identificando se são curtos ou longos, nos ajudando a identificar sílabas tônicas em palavras, perceber a prosódia (ritmo e entonação) na fala e a usar a expressividade e emoção ao se comunicar. Por exemplo, ao ouvir uma palavra, a ordenação temporal em relação à duração dos sons ajuda a identificar qual sílaba é mais enfatizada, contribuindo para uma pronúncia mais precisa e uma comunicação mais clara e natural.


Ordenação Temporal de Intensidade: é a habilidade de perceber e lembrar de uma sequência de sons, identificando se são fortes ou fracos, essencial para monitorar e ajustar a intensidade da própria voz ao falar, identificar sílabas tônicas, variar a prosódia e expressar-se de forma mais enfática ou suave conforme o contexto da comunicação. Por exemplo, ao fazer um discurso, a ordenação temporal em relação à intensidade dos sons permite ajustar a voz para enfatizar pontos importantes, criar suspense ou transmitir emoções de forma mais eficaz.


Já vimos que a habilidade de ordenação temporal é importante para aspectos da comunicação, como entonação. Mas, por que isso é importante no trabalho? A entonação é a variação melódica na voz que transmite emoção, intenção e significado em uma comunicação verbal. É por meio da entonação que podemos distinguir entre uma pergunta e uma afirmação, entre uma expressão de alegria e uma de tristeza. 


Imagine uma situação de reunião de equipe, onde um colega está apresentando um projeto:  é a habilidade de ordenação temporal, que nos permite ser capazes de perceber quando a entonação da voz aumenta para enfatizar um ponto importante, quando há uma pausa para permitir reflexão ou quando há uma mudança sutil na cadência que indica uma transição para um novo tópico. No contexto profissional, ela ajuda a promover uma comunicação clara e eficaz. 


Vamos a outra situação hipotética: quando um líder precisa delegar tarefas a sua equipe, se ele não conseguir perceber as nuances na entonação dos membros do grupo, pode perder indicadores importantes de interesse, preocupação ou confusão de informações. Isso pode levar a mal-entendidos, baixa produtividade e até mesmo conflitos no ambiente de trabalho.


A boa notícia, é que a habilidade de ordenação temporal pode ser desenvolvida e aprimorada com prática e conscientização. Algumas estratégias incluem:


- Escutar com atenção: experimente ouvir diferentes tipos de sons e tente identificar padrões temporais, como batidas, ritmos e pausas.


- Atenção à entonação: ao interagir com colegas ou durante apresentações, preste atenção à entonação da voz para captar nuances de emoção e intenção.


- Peça feedback: Peça feedback sobre sua interpretação de informações auditivas e esteja aberto a melhorias.


- Treinamento auditivo: Considere um programa de treinamento auditivo específico para aprimorar suas habilidades auditivas, por exemplo, aqui no Afinando o Cérebro


Percebeu como a habilidade de ordenação temporal tem tudo a ver com o seu trabalho? Experimente dedicar esforços para desenvolver essa habilidade e esteja mais bem preparado para enfrentar os desafios do ambiente profissional, onde cada vez mais a comunicação é essencial para o sucesso individual e organizacional.


138 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page