top of page
Buscar
  • Foto do escritorAfinando o Cérebro

Meu filho tem TPAC, será que eu também tenho?

O processo de diagnóstico do Transtorno do Processamento Auditivo Central envolve toda a família e não é incomum que pais e mães reconheçam em si alguns dos sinais que os filhos estão apresentando. Nesse momento pode surgir a pergunta: meu filho tem TPAC, será que eu também posso ter? A resposta direta para essa pergunta é: sim. Embora não seja considerada uma condição hereditária direta, pesquisas sugerem que fatores genéticos podem desempenhar um papel relevante na predisposição ao TPAC.


Ficou curioso? Então, vamos começar pelo início.


O TPAC é uma condição neurológica que afeta a forma como o cérebro processa e interpreta informações auditivas, mesmo diante de uma audição sem alterações, afetando a forma como o cérebro processa e organiza os sons, tornando mais desafiador para a pessoa compreender e se comunicar efetivamente. Em todo o mundo, cerca de 20% das pessoas convivem com o TPAC, de acordo com a American Speech Language Hearing Association (ASHA).

Embora as causas do TPAC sejam frequentemente desconhecidas e variadas, é importante mencionar que existem alguns fatores associados à sua ocorrência. Dentre esses fatores, destacam-se:


1. Origem genética: A predisposição genética pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento do TPAC. Estudos sugerem que a presença de familiares com a condição pode aumentar a probabilidade de um indivíduo também apresentar TPAC;


2. Consequência de otites: Infecções de ouvido, como otites, podem levar a alterações no sistema auditivo, afetando o processamento das informações auditivas pelo cérebro. O TPAC pode surgir como uma consequência dessas infecções recorrentes;


3. Sequelas de lesões cerebrais por falta de oxigênio ou traumatismo craniano: Lesões cerebrais causadas por falta de oxigênio ou traumas na cabeça podem afetar negativamente o processamento auditivo central;


4. Envelhecimento natural do cérebro: À medida que envelhecemos, é natural que ocorram alterações nas estruturas e funções do cérebro, incluindo o processamento auditivo. O envelhecimento pode contribuir para a manifestação de alterações no processamento auditivo central dos idosos;


5. Outros transtornos neurológicos: Além do TPAC, existem outros transtornos neurológicos que podem afetar o processamento auditivo, como o autismo ou o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH);


6. Atraso maturacional das vias auditivas do sistema nervoso central: Em alguns casos, o desenvolvimento das vias auditivas do sistema nervoso central pode estar atrasado, levando a dificuldades no processamento auditivo. Esse atraso pode ser temporário e corrigido com o tempo ou exigir intervenções terapêuticas adequadas.


Como vimos, a hereditariedade não é o único fator envolvido no desenvolvimento do TPAC. A influência genética interage com outros fatores, como ambiente, experiências de vida e outros processos neurológicos complexos.


Como o TPAC se manifesta no mundo dos adultos?

As alterações no processamento auditivo central não estão restritas ao universo das crianças, pelo contrário adultos com dificuldades nas habilidades auditivas como manter a atenção em determinada tarefa ou aprender um novo idioma também podem ter TPAC.


Descubra outras dificuldades encontradas no dia a dia dos adultos, que podem estar relacionadas ao TPAC:


  • Dificuldade em se concentrar em reuniões: O TPAC pode dificultar a habilidade de processar e compreender informações verbais em um ambiente com várias vozes e ruídos de fundo, tornando desafiador acompanhar as discussões em reuniões;


  • Dificuldade em assistir TV: Alterações no processamento auditivo central podem levar a problemas na compreensão de diálogos em programas de televisão, filmes e séries, especialmente quando há cenas com muitos sons simultâneos;


  • Dificuldade em conversar em locais ruidosos, como um restaurante ou um ambiente de coworking: Ambientes com ruído de fundo intenso podem dificultar a separação das vozes e a compreensão da fala de outras pessoas, tornando a comunicação em locais ruidosos um desafio para adultos com TPAC;


  • Dificuldade em acompanhar o filho nas tarefas escolares: O TPAC pode impactar a capacidade de compreender as instruções verbais e processar informações auditivas. Isso pode dificultar para alguns pais o acompanhamento das tarefas escolares de seus filhos.


Conheça outros sinais de alteração no processamento auditivo central.


Identifiquei alguns desses sinais, e agora?


É importante ressaltar que os fatores que levam ao diagnóstico de TPAC não são excludentes entre si e podem interagir de maneiras complexas no desenvolvimento dessa condição. Assim, cada caso é único, e a avaliação por profissionais especializados é fundamental para determinar as causas específicas em cada situação e o diagnóstico.


Portanto, se após descobrir que seu filho ou sua filha têm TPAC, você se identificar com algumas das dificuldades enfrentadas pela criança, é importante buscar uma avaliação de um fonoaudiólogo especialista em processamento auditivo central.


Mas, não se assuste. O processamento auditivo central é composto por um conjunto de habilidades auditivas que podem ser treinadas e aprimoradas e graças à neuroplasticidade do nosso cérebro, isto é, sua habilidade de se adaptar por meio de estímulos apropriados. Deste modo, é possível melhorar essas habilidades em qualquer fase da vida. Saiba mais sobre o papel das habilidades auditivas.


Assim, se o diagnóstico se confirmar, você e seu filho aprenderão juntos como estimular as habilidades auditivas afetadas e descobrir estratégias para lidar com elas.


Quero treinar minhas habilidades auditivas, como faço?


O treinamento auditivo é uma das possibilidades disponíveis para aprimorar as habilidades auditivas e ampliar a capacidade de discriminação e compreensão da fala, aproveitando a neuroplasticidade do cérebro. Nesse tipo de treinamento, as habilidades auditivas são estimuladas por meio de atividades que envolvem atenção, memória, como diferenciar sons com distintas frequências e intensidades, concentrar-se na fala de uma pessoa enquanto se ouve uma história em outro ouvido ou memorizar sequências sonoras. Essas atividades possuem o potencial de alterar as estruturas cerebrais, fortalecendo as redes neurais responsáveis pelo processamento auditivo, o que resulta em um processamento auditivo central mais eficiente.


Aqui no Afinando o Cérebro, você terá acesso a mais de 190 atividades desenvolvidas por especialistas, cientificamente comprovadas e capazes de aprimorar as habilidades auditivas afetadas pelo TPAC em crianças, adultos e idosos. Se você ainda não conhece o Afinando o Cérebro, clique aqui, faça um cadastro gratuito e descubra uma maneira inovadora de estimular suas habilidades auditivas de um jeito divertido e para toda a família.


1.019 visualizações

Comentarios


bottom of page